NAVI
  • Bruno Pereira e Dom Phillips: Barbara Arisi comenta crime no Vale do Javari

    Publicado em 21/06/2022 às 12:11

     

     

    Foto: Globonews

    A antropóloga Barbara Arisi, pesquisadora do NAVI e professora da Vrije Universiteit Amsterdam, participou da cobertura do crime que vitimou o indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Phillips em telejornais no canal Globonews.

    Para o Globonews Edição das 18 hrs e Globonews Em Ponto, Barbara destacou a importância da rede de comunicações estabelecida via rádio entre as comunidades indígenas e cidades para a segurança desses povos e acesso aos aparatos estatais. Também comentou a relação positiva que a expansão universitária para o interior do estado do Amazonas e as organizações não-governamentais – na ausência por desmantelamento de órgãos como FUNAI e ICMBio – têm mantido com essas comunidades através de pesquisas.

    A antropóloga pesquisa a região do Vale do Javari desde 2003 e também é colaboradora do portal Amazônia Real.

    Assista na íntegra:

    Jornal Globonews Edição 18hrs

    Jornal Globonews Em Ponto


  • I Colóquio Internacional Utopias da Reciclagem

    Publicado em 25/05/2022 às 11:23

    O I Colóquio Internacional Utopias da Reciclagem acontecerá, em formato virtual, entre os dias 30/06 E 01/07 de 2022. O evento foi idealizado pela Rede de Pesquisa em Antropologias do Lixo e Economia Circula.

    Mais informações em PROJETO ANTROPOLOGIAS DO LIXO

    PROGRAMAÇÃO

    30/06 e 01/07 via Canal do NAVI (YouTube)

    June 30th:  Innovative experiences between Brazil and the Netherlands.

     

    9 am BR / 2 pm NL: Opening

    Presentation of the network “Anthropology of waste and circular economy”

    Carmen Rial. Federal University of Santa Catarina (Network coordinator)

     

    9:20 am BR / 2:20 pm NL: Lecture

    Repair cafes in the Netherlands.

    Freek Colombijn. Vrije Universitiet Amsterdam (Network coordinator)

    Precious Egboko. Vrije Universitiet Amsterdam

     

    10 am BR / 3 pm NL: Round table Brazilian researchers in the Netherlands.

    Ethnographic experiences in the Netherlands: knowledge and practices on solid waste.

    Cornelia Eckert. Federal University of Rio Grande do Sul.

    Carmen Rial. Federal University of Santa Catarina.

    Flows of people and disposal: a moving scenario

    Carla Rocha. Federal University of Santa Catarina.

     

    Moderator: Barbara Arisi. Vrije Universitiet Amsterdam.

     

    11 am BR / 4 pm NL: Round table Dutch Waste.

    “To the rescue! An Ethnographic Study of Food waste reduction practices in Amsterdam”.

     Lena Muldoon. Vrije Universitiet Amsterdam.

    Amsterdammers go native: urban agriculture

    Barbara Arisi. Vrije Universitiet Amsterdam.

     

    Moderator: Freek Colombijn. Vrije Universitiet Amsterdam.

     

    11:40 am BR / 4: 40 pm NL: Open conversation

    The Dutch experience in urban water waste management.

    Cristhian Caje. Vrije Universitiet Amsterdam & Federal University of Santa Catarina.

    Sander Lubberhuizen. Circulogic – RioNed Fundation.

     

    July 1st: Cross-Border Research.

     

    10 am BR / 3 pm NL: Round table Waste management in Argentina, Uruguay, and Antarctica.

    La recolección informal en Buenos Aires. Más acá y más allá de la(s) crisis.

    Mariano Perelman. Universidad de Buenos Aires y CONICET.

    Cómo se recicla el plástico en Uruguay.

    Sonia Gau. FHCE Udelar Uruguay

    “Provincializando o Antropoceno: por uma ‘etnogeoarqueologia’ da colonização antártica”

    Luís Guilherme de Assis. Federal University of Santa Catarina.

     

    Moderator: Natalia Pérez Torres. Federal University of Santa Catarina.

     

    11 am BR/ 4 pm NL: Open conversation

    “A revolução dos baldinhos”. Teaching circular economy and multiplying composting workshops in Florianópolis and Manaus.

    Caroline Almeida. Federal University of Pernambuco.

    Drika Eidt. Federal University of Pernambuco.

    Marcia Calderipe. Federal University of Amazonas.

    Camila Iribarrem. Federal University of Amazonas.

     

    12 am BR/ 5 pm NL: closing

    Audiovisual research on waste.

    Carmen Rial. Federal University of Santa Catarina

    Cristhian Caje. Vrije Universitiet Amsterdam – Federal University of Santa Catarina

    Videos presentation

    Gabriel Sabanai and Priscilla Gusmao.

    Laboratory of Audiovisual Anthropology and Image Studies NAVI.

     


  • Exposição organizada por Andrea Eichenberger e Marc Wiltz será lançada em Boulogne-Billancourt

    Publicado em 12/05/2022 às 14:26

    A exposição Voyages (extra)ordinaires – Résidence artistique en milieu scolaire da fotógrafa Andrea Eichenberger e do escritor Marc Wiltz, com o apoio da Maison Chateaubriand e do Musée Départemental Albert-Kahn estará aberta a visitações entre os dias 14/05 e 26/06. Trata-se da restituição a uma oficina realizada com alunes de Chatenay-Malabry e Boulogne-Billancourt. A atividade reuniu trabalhos de escrita e fotográficos, em que as pessoas participantes foram estimuladas a formar sua própria jornada misturando imagens de outros lugares e testemunhos em seu ambiente diário.

    Andrea Eichenberg é artista visual e antropóloga. Atua em projetos artísticos e de pesquisa vinculados aos grupos: Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem (NAVI)/ UFSC e Poéticas do Urbano CEART/UDESC.

    Agenda 14/05  – Musée Départemental Albert-Kahn:

    19:00 – Auditório

    Mesa Redonda: Invitation au voyage, comment aborder le voyage et ses images a l’école.

    20:30 – Salle des Plaques

    Abertura da exposição a visitantes

    Endereço: 2 Rue du Port, 92100 Boulogne-Billancourt, França

     


  • Carmen Rial publica artigo na Human Remains and Violence

    Publicado em 12/05/2022 às 10:33

    O artigo intitulado ‘I can’t return to the village without my baby’ – ‘Evil deaths’ and the difficulty of mourning in Brazil in the time of COVID-19, foi publicado na edição deste semestre da revista Human Remains and Violence, lançada em maio de 2022.

    O texto, de autoria de Carmen Rial, aborda os diferentes olhares sobre mortes e lutos no Brasil durante a pandemia de Covid-19.

    O arquivo pode ser baixado gratuitamente através deste link:

    https://www.manchesteropenhive.com/view/journals/hrv/8/1/article-p23.xml

    Leia o resumo traduzido:

    Com base na classificação antropológica da morte em ‘mortes boas’, ‘mortes bonitas’ e ‘mortes más’, e utilizando a metodologia da etnografia em tela, este artigo enfoca o luto no Brasil durante a pandemia de COVID-19, especialmente os extremos casos de óbitos em Manaus e entre o povo Yanomami. O artigo ‘segue o vírus’, desde seu primeiro papel em uma morte no país, o de uma empregada doméstica, até cemitérios coletivos cavados às pressas. Considero como o tratamento dos corpos no contexto epidemiológico lança luz sobre os significados da separação pela morte quando os rituais de luto não são realizados de acordo com os imperativos culturais predominantes. Paralelos são traçados com outros momentos de morte súbita e ausência de corpos, como durante as ditaduras sul-americanas, quando muitas vítimas foram declaradas “desaparecidas”. Para finalizar, o artigo enfoca novos rituais funerários, como os funerais Zoom e os grupos de apoio online, criados para superar a impossibilidade do luto praticado no mundo pré-pandemia.

     

     


  • Projetos visuais do NAVI são escolhidos para o 4th Political Imagination Lab

    Publicado em 08/05/2022 às 18:32

    Dois projetos visuais realizados por pesquisaras/es do NAVI foram escolhidos para fazer parte do 4th Political Imagination Lab, cuja temática será “Utopias of Sustainability – The Sustainability of Utopias” na Universidade de Perugia, na Itália entre os dias 30/07 e 01/10.

    Os Political Imagination Laboratory são eventos que promovem a discussão entre trabalho de campo visual e etnográfico e ativismo, reunindo antropólogos, cineastas e ativistas em uma pequena reunião que mistura de exibições de filmes, mesas redondas e exposições de trabalhos em andamento. Os encontros são organizados pela Peasant Activism Project , em cooperação com a rede Anthropology and Social Movements da European Association of Social Movements (EASA) e Controsguardi – International Festival of Anthropological Cinema.

    Os projetos visuais selecionados são:

    1. The utopia of recycling – de Cristhian Caje, Cornelia Eckert e Carmen Rial

    A reciclagem é a solução? A reciclagem é uma utopia inatingível? Essas perguntas permeiam o projeto visual The utopia of recycling, realizado a partir do convênio CAPES/NUFFIC. O documentário acompanha a trajetória de pesquisa de duas antropólogas brasileiras, Carmen Rial e Cornelia Eckert, que visitaram cidades europeias, sobretudo, nos Países Baixos, a fim de acompanhar como a gestão dos resíduos nesses locais, desde o espaço doméstico até os setores público e privado. São apresentadas entrevistas com trabalhadores do serviço público e privado de coleta de lixo, habitantes de cidades e áreas rurais, além de proprietários de empresas de reciclagem em dois momentos. O primeiro em 2019, quando foi realizada uma densa pesquisa etnográfica em Zaandam para um estudo de caso de resíduos urbanos tratamento. Foram observadas as atividades das empresas privadas de coleta de lixo (que operam sob o lema “waste no more”) e os processos públicos de coleta de lixo, antes reciclado pelos usuários. Em 2021, a pesquisa etnográfica focou na atividade de start ups de pequeno e médio porte dedicadas à reciclagem de plásticos e na entrega de materiais reciclados em ecopontos, em diferentes municípios dos Países Baixos.

    Teaser para o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=-iZ3Z91p4Bs

    2. Revolução dos Baldinhos: a struggle for sustainability and social justice – Produção Coletiva

    De que forma as periferias urbanas brasileiras se organizam e resistem aos efeitos do neoliberalismo? A questão serviu de roteiro para nossa pesquisa na “Revolução dos Baldinhos”, associação formada pelos moradores da comunidade Chico Mendes, na zona continental de Florianópolis/SC. Originada em 2008, a “Revolução” desenvolveu uma tecnologia social gerenciada pela comunidade de resíduos orgânicos por compostagem termofílica. Ao todo são 150 famílias envolvidas e cerca de quatro toneladas de resíduos compostados por mês. Além disso, além de reduzir o impacto ambiental causado pela disposição incorreta desses resíduos em locais impróprios, terrenos baldios e aterros sanitários, o modelo Revolução dos Baldinhos também representa uma resistência popular às políticas neoliberais acentuadas dos últimos anos exercidas pelo Estado brasileiro. Assim, contesta e propõe uma reformulação na ordem e disposição dos produtos, exaltada pela cadeia linear de consumo tipicamente neoliberal, ao mesmo tempo em que convoca antigas lutas travadas pelas comunidades vulneráveis. A Revolução rompe com o consumo, cuida do meio ambiente e luta pela justiça social. Este vídeo etnográfico, financiado pelo edital CNPq/MCTIC/MDS nº. 36/2018, acompanha algumas das replicações dessa tecnologia social implantada em outras localidades de Florianópolis (SC) e, no contexto amazônico do Lago do Limão, na Região Metropolitana de Manaus (AM).

    Teaser para o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=T07WBNzvLS4


  • José Gatti, pesquisador do NAVI e professor da UFSC, lança livro sobre Glauber Rocha

    Publicado em 25/03/2022 às 15:29

    Cinema em trânsito: Glauber Rocha filma no exterior de José Gatti (Editora Insular)

     

    O livro Cinema em trânsito: Glauber Rocha filma do exterior I (Editora Insular, 2022), do professor colaborador do PPGI e pesquisador vinculado ao NAVI José Gatti, teve o seu lançamento no último dia 14  – data em que se comemora o aniversário do cineasta baiano.

    Nesta publicação, Gatti aborda filmes realizados por Glauber no exterior, durante o período que compreendeu o seu exílio. São obras que tiveram a colaboração de produtores e equipes estrangeiras, ainda pouco conhecidas no Brasil.

    “Esses filmes são pouco conhecidos no Brasil, pois tiveram sua exibição truncada ou proibida pela censura da época, só vindo a ser exibidos muitos anos depois de sua realização. No entanto, essa parcela de sua obra monta um painel de questões que animavam o campo progressista em vários países e, como se examina no livro, com especial repercussão na América Latina. Além disso, o cineasta jamais perdeu o Brasil de vista; é o Brasil que retorna em cada um desses filmes, seja como alegoria ou como referência explícita. É um Brasil dos anos 1960 e 70 e que, espantosamente, ecoa em nossa contemporaneidade. Como tantos afirmaram, o Glauber artista-profeta parece continuar se manifestando entre nós (GATTI, 2022)”.

    O livro pode ser adquirido na página da Insular, através do link: https://insular.com.br/produto/cinema-em-transito-glauber-rocha-filma-no-exterior/


  • Carmen Rial publica o artigo ‘El Diego de la gente’: the most human of the football Gods

    Publicado em 21/03/2022 às 0:36

     

    Foto: Carla Pires Vieira da Rocha (Nápoles)

    O periódico internacional Eracle: Journal of Sport and Social Sciences lançou em fevereiro deste ano o dossiê Global Maradona: man, athlete, celebrity, idol, hero, myth. Organizada por Luca Bifulco,  Stefano Bory e Gianfranco Pecchinenda, todos vinculados à Università degli Studi di Napoli Federico II, o número reuniu artigos que discutem a extensão global e local do fenômeno Maradona –  falecido em novembro de 2020.

    A professora do Departamento de Antropologia e coordenadora do NAVI, Carmen Rial, contribuiu com a publicação do artigo ‘El Diego de la gente’: the most human of the football Gods. O texto explora as relações entre futebol e religião decorrentes de imagens produzidas sobre Maradona, considerado uma divindade cultuada, sobretudo, na Argentina e em Nápoles.

    O artigo pode ser lido neste link: http://www.serena.unina.it/index.php/eracle/article/view/8994

    Além de Carmen Rial. participaram desse dossiê grandes pesquisadoras/es que atuam na interface entre as Ciências Sociais e o Futebol, tais como Pablo Alabarces (Universidad de Buenos Aires); Pippo Russo (Università degli Studi di Firenze); Giovannipaolo Ferrari e Paolo Diana (Università degli Studi di Salerno); Layne Vandenber (King’s College London, UK/University of Hong Kong); Rusa Agafonova (University of Zurich); María Mónica Sosa Vásquez (Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales – FLACSO); Jonathan Palla (Universidad Nacional de San Martín).

    Confira o abstract de Diego de la gente’: the most human of the football Gods:

    Futebol e religião mantêm uma associação benéfica. Não seria exagero dizer que o futebol contemporâneo apresenta as atuações religiosas mais assistidas no mundo (Rial, 2012). Alguns autores chegam a comparar o futebol a uma nova religião. Na pesquisa etnográfica multissituada sobre futebol que tenho realizado em mais de 15 países desde 2003, encontrei expressões de devoção a vários jogadores famosos que são tratados como “santos” e “messias” – mas nenhum com a intensidade de Maradona, que tem sua própria Igreja na Argentina, capelas nas ruas de Nápoles e que reuniu uma comoção apaixonada em seu velório. Investigando a relação entre futebol e religião, o artigo explora as características do craque Maradona, que está mais próximo da figura ambígua de Exú do que de outras “divindades” futebolísticas mais apolíneas. Examina por que Maradona merece tal adoração e como essa religiosidade banal ecoa entre os fãs de futebol. Torcer por Maradona pode ser visto como uma arma dos fracos para vencer os pujantes, pelo menos no que tange o imaginário sobre esse futebolista.


  • Marcha das Mulheres em Amsterdã – e em Berlim (enviado por Bárbara Arisi, pesquisadora do NAVI/Nuffic)

    Publicado em 08/03/2022 às 23:59

    Em Amsterdã, o dia de luta coletiva feminista começou na praça Dam com um ato político onde jovens lideranças discursaram contra o racismo nas políticas de refugiadas/es e também sobre as persistentes desigualdades de salário entre mulheres e homens. Nos cartazes, as mulheres explicitavam suas lutas cotidianas, do direito ao prazer (com grandes vaginas e clitóris feitos artisticamente com panos coloridos) ao direito ao aborto (“meu corpo, minhas escolhas”). Nos megafones, um grupo de jovens com hijab (véu que algumas mulheres islâmicas vestem), chamava o coro: “ você quer saber como as feministas são e se parecem? Ao qual, repetíamos em uníssono, com vários tipos físicos, cores de cabelo, pele e tamanhos: “ é assim que as feministas são”. Multi diversa e linda marcha ate a Museumplein.

    A marcha aconteceu no último sábado, 05 de março.

    *Texto: Bárbara Arisi (NAVI/Vrije Universiteit Amsterdam)

     

    Imagem panorâmica da chegada da marcha em Museumplein (Foto: Bárbara Arisi)

     

    À esquerda,  Praça Dam lotada na concentração da marcha (Foto: Bárbara Arisi). Imagem seguinte: Barbara Arisi (VU/AUC) e Mari Soppela, cineasta e diretora do filme “It’s raining women” (2022).

    Veja mais fotos e vídeos da marcha:

    À direita, Coenraad Krijger, diretor da International Union for the Conservation of Nature – Commitee The Netherlands (IUCN NL). Ao centro, com a bicicleta, Liliana Jauregui-Bordones, especialista sênior em Meio Ambiente, e coordenadora de projetos da IUCN NL para a América Latina. À esq., Marianne de Beer, da área de comunicação da IUCN.

     

    Foto: Liliana Jauregui

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Final da marcha na Museumplein (ao fundo, o Rijksmuseum).  Da esquerda para a direita: Fréderique Holle (antropóloga, especialista em gênero da IUCN NL); Liliana Jauregui-Bordones, especialista sênior em meio ambiente e coordenadora de projetos da IUCN NL para a América Latina; Daphne van den Heuvel (Designer e assistente administrativa); Maxime Eiselin (especialista em soluções baseadas na natureza); Marianne de Beer, da área de comunicação da IUCN; e com a bandeira, Barbara Arisi (pesquisadora do NAVI e professora da Vrije Universiteit Amsterdam e Amsterdam University College).

    Vídeos da Marcha:

    Vídeo 1 (Imagem: Bárbara Arisi): Seguindo os gritos de protesto

    Vídeo 2 (Imagem: Marianne de Beer): A Marcha e ao fundo o Rijksmuseum (com as bandeiras da Ucrânia).

    Gritos da Marcha da Mulheres de Amsterdam:

    Áudio 1:

    Áudio 2:

    Áudio 3:

    Veja a galeria de fotos dos cartazes aqui

     

    Berlim – 8M “WE BREAK YOUR BORDERS WE SMASH YOUR FASCISM”

    Em Berlim, mais 11 mil mulheres participaram da manifestação, conforme mostra o vídeo do International Women Space, feito pela documentarista e diretora Denise Garcia Bergt. A marcha das mulheres teve início às 15 horas na Leopoldplatz.

    Veja o vídeo aqui

    Cartaz da marcha #8M2022 (International Women* Space)


  • Seminário “Experiências e Desafios da Internacionalização”

    Publicado em 16/02/2022 às 18:45

    No próximo dia 23 será realizado o seminário “Experiências e desafios da internacionalização e perspectivas de carreira de jovens cientistas brasileiras/os das áreas de ciências humanas e sociais, sociais aplicadas, linguística, letras e artes (CHSSALLA)”. O evento, organizado pela Professora Miriam Grossi (IHEAL/UFSC/SBPC), Luciana Gransotto (UFSC/CAPES-COFECUB), Wemmerson Ferreira da Silva (MN/UFRJ/CAPES-COFECUB) e Cristhian Caje (Vrije Universitiet Amsterdam- CAPES NUFFIC), será presencial e acontecerá no Campus Condorcet Bâtiment Sud (Paris).

    A programação contará com a participação de Renato Janine Ribeiro (presidente da SBPC), Jaqueline Godoy Mesquita (membro afiliado da ABC), Capucine Boidin (diretora do IHEAL). Além da conferências “Mobilidade internacional de jovens universitários e circulação de paradigmas científicos e artísticos” (de Afrânio Garcia – EHESS) e da roda de conversa e troca de experiências de bolsistas brasileiras/os em estágios doutorais e pós-doutorais na França – mediada por Miriam Grossi.

    O seminário, cujo idioma oficial será português, é uma realização de IHEAL – Institut des Hautes Etudes d’Amérique Latine – Université Paris 3 – Sorbonne Nouvelle; SBPC – Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência; FCHSSALLA – Fórum de Ciências Humanas, Ciências Sociais, Sociais Aplicadas, Letras, Linguística e Artes; Projeto CAPES-COFECUB Gênero Ameaça(n)do/Genre Menacé-menaçant; e CAPES/NUFFIC.


  • Publicação de artigo de Ana Maria Alves de Souza na Anuário de Literatura

    Publicado em 15/12/2021 às 17:29

    A última edição da revista Anuário de Literatura, lançada no início deste mês, tem entre as publicações, o artigo “As laranjas e a pandemia: a poética da mistura nas aquarelas de Maria Esmênia”, de Ana Maria Alves de Souza.

    Segundo a autora, o texto faz uma “reflexão sobre a poética da ‘mistura’ (COCCIA, 2018), costurando a leitura de uma série de obras artísticas produzidas pela aquarelista Maria Esmênia, que foram postadas em sua página no Facebook durante o início da pandemia  em 2020, relegando-nos ao distanciamento físico e levando-nos a uma proximidade virtual”.

    Confira o texto completo pelo link: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/78664