NAVI
  • Semana do Meio Ambiente

    Publicado em 08/06/2021 às 15:46

    Conheça projetos e produções do NAVI que contemplam a área

     

    Compostagem no Morro do Quilombo em Florianópolis (Foto: Caroline de Almeida)

    Nesses 27 anos de existência, pesquisadoras e pesquisadores que compuseram o quadro do NAVI produziram diversos trabalhos, entre audiovisuais, ensaios fotográficos, artigos, teses e dissertações que refletiram sobre a temática do Meio Ambiente. Na última década, o dialogo com o desenvolvimento sustentável tem ganhado maior espaço. Neste post, você poderá conhecer um pouco mais dessas atividades.

    • Mar-de-dentro: a transformação do espaço social na lagoa da Conceição – Dissertação de mestrado de Carmen Rial, desenvolvido no PPGAS/UFRGS em 1988, sob a orientação de Claudia Fonseca. A etnografia teve como objetivo a observação e reflexão sobre a transformação do espaço social em três gerações de famílias moradoras da região do Canto da Lagoa, em Florianópolis, desde de uma perspectiva associada a uma semi-ruralidade até a adoção de hábitos de consumo associados a contextos urbanos. Download do texto completo..
    • Grupo de Antropologia Urbana e Marítima (GAUM) – Coordenado por Carmen Rial, reuniu pesquisadores do NAVI e de outros núcleos, de diferentes áreas, no intuito de promover um amplo diálogo sobre as relações entre cultura, meio ambiente, pesca e turismo. A criação desse grupo acompanhou a urgência de se pensar a temática em uma Florianópolis que despontava como destino turístico e, ao mesmo tempo, mantinha uma antiga relação de subsistência com o mar. O GAUM também foi responsável pelas três edições do Simpósio de Estudos da Pesca. Algumas pesquisas podem ser consultadas abaixo:
      Luís Guilherme Rezende de Assis A proa pressentida: táticas oceanográficas para atravessar a duração e avistar baleias no Estreito de Gerlache, Península Antártica. 2019. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina. Orientadora Carmen Rial. Link
      Simone Frigo Gênero, Geração e Técnica na Pesca da Tainha de Encantadas, Ilha do Mel. 2018. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina. Orientadora: Carmen Rial. Link
      Luceni Medeiros Hellebrandt Mulheres da pesca artesanal na Colônia Z3 (Pelotas, RS): debatendo vivências como contribuições para o campo de pesquisa em gênero e pesca. (provisório). 2017. Tese (Doutorado em Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas) – Universidade Federal de Santa Catarina, Orientador: Carmen Silvia Rial. Link
      Cibele Dias da Silveira Território como instrumento de gestão pesqueira: por uma cartografia do território social da pesca artesanal no Brasil e em Portugal. 2015. Tese (Doutorado em Curso de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas) – Universidade Federal de Santa Catarina, . Coorientador: Carmen Silvia Rial. Link
      Márcia Regina Calderipe Farias Mediação cultural e reciprocidade no contexto das práticas turísticas em Florianópolis -SC. 2006. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina. Link
      Matias Godio 500 quilos: etnografia visual de uma comunidade de pescadores na Barra da Lagoa. 2005. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina. Link
      Anamaria Teles Sereias e Anequins: uma etnografia visual com pescadores artesanais da Barra da Lagoa, Florianópolis. 2002. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina. Link
      Rose Mary Gerber. Estranhos e Estrangeiros- um estudo antropológico com mulheres sobre a mídia em Ganchos/Ganchos na Mídia. 1997. 0 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina. Link
    • Produções Audiovisuais: o NAVI congrega atividades de ensino, pesquisa e extensão na área de estudos audiovisuais e da imagem constituindo-se em um polo de reflexão, aglutinação e difusão de experiências, propostas e críticas em antropologia audiovisual e em antropologia das sociedades moderno-contemporâneas. Mantém convênios com a rede de Núcleos de Antropologia Visual no Brasil e no exterior, participando do GT de Antropologia Visual da ABA. Em 2002, recebeu o prêmio Pierre Verger da ABA de Contribuição à História da Antropologia. Entre as produções audiovisuais que dialogam com questões ambientais estão:
      RESERVA. Un lugar donde no pasan tantas cosas malas (Dir. Matias Godio, 2020, 14 min.): Este documentário foi realizado no âmbito da disciplina de Análisis Microsocial da UNTREF. Também investiga a relação entre cultura e natureza por meio dos usos desse espaço por diferentes atores que o habitam. Rodado na Reserva Ecológica de Buenos Aires (Argentina). Produzido pela Universidad Tres de Febrero em colaboração com o Projeto Antropologia do Lixo/Resíduos Sólidos através do convênio de cooperação UFSC-UNTREF. Realização: Irene Rinaldi; Julieta Constantino; Matias Godio; Nara Alvarez.

      Assistir Online

      Linhas  Imaginárias (Dir. Cristhian Caje, 2015, 10 min): Aprender a remar junto com eles é o desafio. No deslocamento da câmera  se revela a paralaxe da imagem e a perspectiva em movimento. Invariantes e variantes, os mapas, os pontos de referência, as marcas na paisagem, tudo como marcadores de orientação para o cálculo do esforço.  A câmera nos permite pensar em imagens destas linhas imaginárias a partir da experiência visual.

      Assistir Online

       

      Naufrágio (Dir. Alex Vailati e Matias Godio, 2014, 52 min.): Vilson “Neto” Steffen foi docente e militante, um pioneiro no difundir uma proposta de educação libertaria ligada ao contato com a natureza. O filme percorre sua trajetória como morador, ativista e como pedagogo, em paralelo com as transformações urbanas e culturais da Barra da Lagoa, comunidade da Ilha de Santa Catarina em que se estabeleceu no final da década de 1970.

      Assistir Online

      4. Projeto Antropologias do Lixo e Práticas Inovadoras: Rede de formada por pesquisadoras/es de diferentes Instituições de Ensino Superior que atuaram no projeto guarda-chuva “Antropologias do lixo/resíduos sólidos e experiências inovadoras”

      Contemplam, por enquanto, dois subprojetos:

      -“Avaliação de Tecnologia Social – O Programa Revolução dos Baldinhos e a replicação da gestão comunitária de resíduos orgânicos em comunidades de Florianópolis (SC) e Iranduba (AM)”, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) através do edital CNPq/MCTIC/MDS – coordenado por Carmen Rial (UFSC), em cooperação com Márcia Calderipe (UFAM). Veja mais.
      -“Economia circular: antropologias do lixo/resíduos sólidos e experiências inovadoras entre Holanda e Brasil” pelo convênio CAPES/NUFFIC, coordenado por Carmen Rial (UFSC) e Freek Colombijn (VU Amsterdam). Veja mais.


  • Lançamento do Catálogo das Mostras Audiovisual e Fotográfica – Fazendo Gênero 12

    Publicado em 29/05/2021 às 23:05
    Anunciamos com alegria que o catálogo das Mostras Audiovisual e Fotográfica do Seminário Internacional Fazendo Gênero 12 está no ar, em versões para download e para consulta online.
    A colagista, escritora, doutoranda do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas e navista, Monique Malcher, assina a arte da publicação que traz as sinopses dos 29 filmes e 25 ensaios fotográficos, além de informações sobre os trabalhos e filmes componentes das mostras paralelas.

    A organização do catálogo, publicado pela Cultura e Barbárie, foi composta por Carmen Rial, Carla Pires Vieira da Rocha, Natalia Pérez, Caroline de Almeida e Cristhian Caje.

    Assinam a tradução para a língua inglesa, Bárbara Arisi e CIA das Traduções.


  • Carmen Rial participa do ciclo de webconferências “Trajetórias Pessoais e História da Antropologia Visual no Brasil”

    Publicado em 09/05/2021 às 23:18

    A série de entrevistas “Trajetórias Pessoais e História da Antropologia Visual no Brasil” é uma parceria entre o Laboratório das Memórias e das Práticas Cotidianas – LABOME/UVA-Sobral-CE e a editora Sertão Cult, com apoio do Comitê de Antropologia Visual da Associação Brasileira de Antropologia.

    Nesta segunda,  a convidada é Carmen Rial (NAVI/UFSC) que contará um pouco da sua trajetória acadêmica e da produção de documentários etnográficos.

    Quando:  10 de maio, às 15h no canal do LABOME no YouTube:

     


  • Carmen Rial e Miriam Grossi comentam Paulme, Dieterlain e Tillion em Aulas Abertas sobre Teorias e Histórias da Antropologia

    Publicado em 08/05/2021 às 21:14

    O Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Unicamp (PPGAS/IFCH) comemora seus cinquenta anos de existência organizando o primeiro ciclo de Aulas Abertas de Teorias e Histórias da Antropologia. Grande nomes da Antropologia brasileira e portuguesa foram convidadas/os a comentar os clássicos que construíram – e constituíram – essa ciência social.

    Na próxima quarta-feira (12/05 às 9 hrs), Carmen Rial (UFSC) e Miriam Grossi (UFSC) comentam os trabalhos de Denise Paulme, Germaine Dieterlain e Germaine Tillion. Em 2002, as antropólogas brasileiras lançaram o documentário “Mauss, segundo suas alunas” em que as três etnógrafas apresentam a trajetória intelectual de Marcel Mauss, um dos fundadores da Escola Francesa de Sociologia e Antropologia.

    O evento pode ser acompanhado pelo canal da IFCH/Unicamp no YouTube em https://www.youtube.com/c/IFCHUNICAMP1/featured

    Programação completa:


  • Mesa de Encerramento das Mostras Audiovisual e Fotográfica do Fazendo Gênero

    Publicado em 31/03/2021 às 14:10

    Nesta quarta-feira, dia 31 de março, apresentaremos a Mesa de Encerramento das Mostras Audiovisual e Fotofráfica do FG12, com as ilustríssimas presenças de Dra. Cornélia Eckert (NAVISUAL/UFRGS), Dr. Luiz Eduardo Robinson Achutti (IA/PPGAS/UFRGS) e Dra. Carmen Rial (NAVI/UFSC). A proposta desta mesa consistirá no debate sobre a Antropologia Visual em contexto pandêmico – e os desafios e reflexões à produção de imagens fotográficas.

    Quando:
    Hoje, às 19h

    Acesso através do link:

    Coordenação: Carla Rocha (NAVI/LABIMHA/UFSC)
    Debatedora: Natália Perez (NAVI/UFSC)
    Organização: Carla Rocha (NAVI/LABIMHA/UFSC), Natália Perez (NAVI/UFSC)

    Observação: A mesa não apresenta interação simultânea entre as participantes, as conversas foram gravadas em datas diferentes, a partir de um roteiro de perguntas pré-estabelecido.


  • Mostra Audiovisual e Fotográfica do Seminário Internacional Fazendo Gênero 12

    Publicado em 22/02/2021 às 22:17

     

    MOSTRAS AUDIOVISUAL E FOTOGRÁFICA FAZENDO GÊNERO 12

    Assista o vídeo de divulgação da Mostra Audiovisual

    Assista o vídeo de divulgação da Mostra Fotográfica

    As Mostras Audiovisual e Fotográfica do Seminário Internacional Fazendo Gênero estão voltadas para a divulgação de produções audiovisuais e fotográficas orientadas pelas problemáticas relativas a gênero. O evento integra a programação da 12ª edição do seminário – “Lugares de Fala: Direitos, Diversidades e Afetos”. Este ano, contamos com 29 filmes e 25 ensaios fotográficos para as mostras competitivas – que, além da escolha dos melhores por um júri de especialistas, poderão ser votadas pelo público a partir de um questionário nas páginas do evento. A cada edição da Mostra Audiovisual é realizada uma homenagem a cineastas de grande relevância para a disseminação do conhecimento na área de gênero e feminismo. Lucia Murat será a grande homenageada em 2021. A cineasta, ao longo de sua carreira de quase quatro décadas, tem abordado questões que discutem as lutas de mulheres em suas obras, nos contextos mais variados. Além disso, há mostras paralelas. A programação pode ser acessada via páginas do evento e redes sociais do NAVI (You Tube, Instagram, Facebook) e, a partir de 1º de março às 19 hrs, pelas páginas:

    8ª Mostra Audiovisual Fazendo Gênero

    9ª Mostra Fotográfica Fazendo Gênero

    Confira a programação das Mostras:

    *Os filmes das mostras paralela e homenageada ficarão no ar por 24 hrs a partir do horário de início.

    **Todos os dias: Mostras Audiovisual e Fotográfica competitivas: Mostra Audiovisual Paralela – NAVI; Mostra NAVI – 20 anos de Mostra Fotográfica do Fazendo Gênero

    DOM SEG TER QUA QUI SEX SAB
    1.

     

    – 19 hrs Exibição do filme Que bom te ver viva (Lucia Murat)

    2. 3. 4. 

    – 19 hrs Mesa de Abertura

    “As mulheres na produção cinematográfica 

    5. 6.
    7.

    – 19 hrs

    Apresentação do Filme Quentura (Mari Correa)

    8. 9. 10. 11.

    19 hrs Exibição do filme Knots and holes (Mattij van De Port)

    12. 13.
    14.

    – 19 hrs Exibição do Filme “Em três atos” (Lucia Murat)

    15. 16. 17.

    – 19 hrs Mesa Masculinidades, religiosidade e produção audiovisual

    18. 19. 20.
    21.

    – 19 hrs Exibição do Filme “ A memória que me contam” (Lucia Murat)

    22. 23. 24.

    – Exibição do filme Viagem aos Makonde (Catarina Costa)

    25. 26. 27.
    28. 29. 30.

    19 hrs Estreia no Brasil do filme “Body won’t close” (Mattij van De Port)

    31.

    – 19 hrs Mesa de Encerramento “Desafios no pós-pandêmicos”

    Realização:

    Apoio:


  • Oficina de Podcast – Inscrições abertas até 7/02 (Evento Gratuito)

    Publicado em 04/02/2021 às 23:30

     

     

     

     

    Com o incentivo da Lei Aldir Blanc – Prêmio Alcides Mesquita, do Governo Federal e da Prefeitura Municipal de Santos, será realizada uma Oficina de Podcast gratuita e online. Você poderá aprender sobre todas as etapas para produzir podcast com qualidade e poucos recursos, do roteiro até a divulgação.

    Durante a oficina haverá a produção de um episódio para o Podcast de Marte sobre obras de poetas e artistas santistas.

    Haverá certificado

    A Oficina acontecerá ao longo dos dias 8, 10 e 12 de fevereiro – das 19:30 às 21:30.

    Inscrições até 7/02 pelo link https://linktr.ee/podcastdemarte
    Número de vagas: 20


  • Podcast “Vocês da Imprensa” recebe Carmen Rial e discute casos de violência contra a mulher no futebol

    Publicado em 17/01/2021 às 18:58

    Escute o episódio 27 na íntegra aqui

    Marcelo Barreto recebeu o jornalista Gilmar Ferreira e a antropóloga Carmen Rial no podcast “Vocês da Imprensa”, que foi ao ar em 15/01/2021. O episódio debateu os casos de violência contra as mulheres no futebol brasileiro e as mudanças na cobertura jornalística em cada um deles. Foram analisados o estupro da jovem por jogadores do Grêmio na Suíça em 1987; o assassinato de Eliza Samudio pelo goleiro Bruno; a agressão do goleiro Jean a sua esposa em uma viagem aos Estados Unidos; e o estupro coletivo, envolvendo Robinho, de uma mulher em uma boate na Itália.

    Sobre o caso ocorrido na cidade suíça de Berna, em 1987, Carmen Rial ressaltou:

    “A gente pode apontar isso como um erro. Porque jornalista têm no mínimo que ouvir os dois lados. E não houve nenhuma tentativa de ouvir essa menina, treze anos, depois ela fez catorze anos (no decorrer do processo). Ela deixou de ser uma pessoa com nome, com histórico, família. Ela passou a ser uma menina suíça que tem uma cultura diferente, onde as mulheres transam já muito cedo. Ou seja, houve uma construção desse personagem que justificava o ato ignóbil dos jogadores”.

    Para mais, ver:

    https://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/voces-da-imprensa-27-do-caso-berna-87-ao-caso-bruno-podcast-analisa-cobertura-da-imprensa.ghtml

     


  • Esporte Espetacular debate casos de violências contra mulheres cometidas por futebolistas

    Publicado em 11/01/2021 às 0:42

    Veja a reportagem completa aqui.

    O programa, que foi ao ar no dia 10/01, abordou casos de violências cometidos pelos jogadores: Robinho, Bruno, Jean, Henrique, Fernando, Eduardo e Alexi. Os quatro últimos referentes ao estupro coletivo de uma menor na Suíça em 1987. A reportagem ouviu diferentes pessoas envolvidas, especialistas e pesquisadoras/es que se dedicam ao estudo do futebol sobre a questão: Por que comportamentos violentos contra mulheres se reproduzem também no futebol profissional?

    A antropóloga e jornalista Carmen Rial foi uma das entrevistadas. Em 1987, ao deparar-se com o apoio de grande parte da imprensa brasileira, de autoridades e torcedores aos quatro jogadores do Grêmio (RS) que estupraram uma adolescente de 13 anos em um hotel em Berna, publicou em parceria com a também antropóloga Miriam Grossi o artigo “Os estupradores que viraram heróis”. Ao Globo esporte, Carmen lembrou:

    “Miriam Grossi e eu, que já éramos feministas na época e sabíamos que isso seria absolutamente condenável e condenado socialmente em muitos lugares. No Rio Grande do Sul, não foi. Foi por isso que a gente escreveu aquele artigo que foi publicado em um jornal muito pequeno de São Paulo, mas importante. Um jornal feminista, o Mulherio”

    Nesta entrevista, Carmen relembra o fato ocorrida na década de 1980, comparando com os demais casos. Pondera que o futebol, como espetáculo, não deve ser utilizado como um espaço para a ressocialização de futebolistas que cometeram crimes violentos contra mulheres:

    “a ideia de voltar a atuar no futebol e ressocializá-los é errada. Porque a imagem que a gente está passando para a sociedade – a mensagem que a gente está passando – é outra: você pode fazer, nada vai mudar nossa vida.”

    Clique aqui e leia o artigo na Mulherio

    RIAL, Carmen;GROSSI, Miriam. Os estupradores que viraram heróis. Em Mulherio (Fundação Carlos Chagas) n. 32, outubro de 1987 p.3-4.


  • Lançamento do n. 55 da Revista Iluminuras

    Publicado em 29/12/2020 às 23:20

    Dossiê Antropologias do lixo/resíduos sólidos: economia circular e experiências inovadoras

    Organizado por Carmen Rial, Cornélia Eckert e Freek Colombijn

    Você pode ter acesso pelo link da revista:

    https://seer.ufrgs.br/iluminuras/issue/view/4172