Projetos de Pesquisa

Projetos em andamento

2018 – Atual : A prática antropológica hoje e a educação antropológica fora das universidades
Responsável: Carmen Silvia Rial
Descrição: A educação antropológica propriamente dita é rara fora das universidades na maioria das regiões do mundo, mas a maioria das escolas secundárias (e escolas intermediárias) ensinam história, geografia, educação cívica e às vezes outras unidades de estudos sociais. O projeto visa fazer um balanço os conteúdos antropológicos ministrados nas escolas (antes do ensino superior), especialmente os que potencialmente poderiam ajudar a tornar os estudantes pré-universitários melhores cidadãos; em que medida textos antropológicos relacionados por exemplo a questões como raça e gênero em materiais didáticos estão atualmente disponíveis e se existem nos paises estudados professores com formação em Antropologia atuando em escolas secundárias ou primárias; Discutiremos com os participantes do encontro bienal da WCAA a ser realizado em Florianópolis entre 12 a 16 de julho de 2018 a escolha do local de realização da pesquisa etnográfica. Escolhemos tentativamente o Quênia como um local apropriado aprofundar estas questões em maior detalhe. Tanto porque o pai fundador do Quênia estudou Antropologia no Reino Unido, fornecendo assim uma base para o engajamento da Antropologia no projeto de construção da nação, e porque um dos membros do Comitê Organizador da WCAA, I. Nyamongo, ensina na Universidade de Nairobi e ocupa posição de relevância no Ministério da Educação do Quênia. O estudo envolverá avaliação de materiais curriculares para ciências sociais em escolas secundárias e até níveis anteriores, entrevistas semi estruturadas com professores e talvez até com alunos, discussões de grupos focais com especialistas em currículo. Dependendo da experiência aportada por esse simpósio (e da possibilidade de financiamento futuro), talvez possamos ampliar este estudo para outros países na América Latina e na África. O projeto inicialmente abordara os seguintes tópicos: 1. O que os graduados de antropologia fazem e como eles se identificam; 2. Relacionando a prática antropológica com o Estado: perigos, possibilidades e geração de políticas públicas; 3. Enfrentando os desafios da globalização; 4. A organização da diversidade da prática antropológica através de Associações. 5. O ensino de antropologia fora da Universidade..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 – Atual: Novas redes internacionais de circulação de pessoas. As articulações da violência entre os africanos residentes no Brasil.

Responsável: Carmen Silvia Rial

Descrição: Em consequência das transformações sociais e econômica, o Brasil se tornou nos últimos dez anos, um contexto fortemente atrativo para novo fluxos migratórios. Em particular assistimos a um incremento crescente da presencia no território brasileiro, de pessoas que chegam de país classificados como pertencentes ao ?Sul global?. Os dados do Observatório das Migrações Internacionais, do Ministério do Trabalho, revelam um incremento de permissões de trabalho, concedidas a pessoas de nacionalidade, para propor alguns exemplos, ganes, senegalês, paquistanês, nigerianas. Este projeto tem como objetivo de fortalecer o conhecimento sobre as migrações internacionais, permitindo assim o desenvolvimento das competências dos vários setores, como por exemplo do assistencialismo social ou o terceiro setor, mas também dos funcionários federais, para permitir uma receptividade maior em relação as exigências especificas destas pessoas. Neste sentido, o projeto visa também suportar a constituição e o funcionamento de associações, como as associações de migrantes ou as organizações não governativas, no desenvolvimento de projetos específicos relativo as migrações..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

2016 – Atual: Futebolistas brasileiros no exterior – missionários globais?

Responsável: Carmen Silvia Rial

Descrição: Aprofundar a pesquisa em torno dos “imigrantes ricos”, abordando a inserção dos futebolistas /as brasileiros/as nas principais ligas norte-americanas, as especificidades desta participação em relação a encontrada em outros países e enfocando especialmente sua atuação como ?pastores globais? do movimento neopentecostal brasileiro, através de pesquisa etnográfica com futebolistas brasileiros nos Estados Unidos. Este objetivo continua o trabalho já desenvolvido na ultima década de repensar as teorias de migrações, deslocamentos e mobilidades a partir da circulação de sujeitos trabalhadores que não se conformam aos grupos tradicionais de emigrantes/imigrantes laborais brasileiros, através de pesquisa etnográfica com jogadores de futebol..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

  • Produzindo futuras memorias: uma exploração etnográfica do cinema de família.

    Responsável: Alex Vailati

Resumo: O advento da tecnologia de vídeo barata, de fácil uso, criou uma ampla revolução nas estratégias representacionais. Atualmente, os vídeos são feitos por unidades de produção não profissionais que são, por vezes, compostas por famílias, igrejas, grupos musicais, associações comunitárias ou indivíduos. Dessa forma, os vídeos produzidos e distribuídos em redes atípicas moldam profundamente o imaginário. O objetivo deste projeto é analisar o chamado fenômeno cinema de família, que é ainda periférico na investigação etnológica. A análise das experiências dos “arquivos de cinema de família”, um campo reconhecido de estudos para as ciências históricas, mostra, por exemplo, como essas mídias tornam-se “memórias” de eventos para famílias e indivíduos. Esse artigo irá abordar a importância da pesquisa de campo com base em como os “vídeos locais” são produzidos, de um ponto de vista econômico, político e estético. Pode ser a estratégia fundamental para compreender como os imaginários são “produzidos localmente” e suas relações com narrativas globais.

 

Anteriores:

  • PNPD Pesca, meio-ambiente e turismo: estudo sócio-antropológico (2008 – 2012)
    Responsável: Carmen Rial

O projeto “Pesca, meio-ambiente e turismo: estudo sócio-antropológico” propõe aprofundar a perspectiva da articulação entre território, trabalho, memória e imaginário, com ênfase na questão da mobilidade social em comunidades pesqueiras e sua relação com as práticas de turismo, através de um atravessamento temático entre a dimensão cultural do trabalho, a comunicação, o consumo, o poder, a antropologia urbana e as praticas criadoras de identidade. Pretende-se, desta forma, desenvolver um estudo sobre essas populações partir das questões que foram explicitadas, envolvendo a atividade pesqueira e as relações que ela estabelece com outras esferas da vida social e cultural, como sustentabilidade, meio ambiente, políticas de preservação sócio-ambiental e de desenvolvimento econômico, modo de vida e saberes tradicionais, conflitos e formas de mobilização social. A utilização de oficinas e a produção visual tem como objetivos específicos seguintes procedimentos: 1) Analisar, através de literaturas e interação com especialistas, aspectos éticos e estéticos envolvidos na fotografia e cinematografia antropológica desempenhada nos estudos do campo da etnoecologia; 2) Desenvolver, a partir dos resultados audiovisuais, material de educação ambiental e divulgação científica destinado aos acervos públicos, às escolas, ao turismo, aos contadores de histórias e ao público geral sobre a pesca artesanal do litoral paranaense, particularmente a pesca da tainha por meio do arrastão de praia; 3) Realizar registros fotográficos e cinematográficos do ambiente e da prática pesqueira; 4) Promover interação entre Universidade e comunidades pesqueiras tradicionais com eixo em metodologia audiovisuais

2012 – 2016: Migrações e Mobilidades Contemporâneas: Trajetórias, Profissões e Estilos de Vida

Descrição: Nas últimas décadas os fenômenos migratórios nacionais e internacionais caracterizaram-se pela sua intensidade e complexidade. Desde os anos 1980, o Brasil deixou de ser um país receptor de imigrantes para transformar-se em um país que cede emigrantes para o mundo, especialmente para os Estados- Unidos, Japão e Europa, países receptores que tem sido estudados por antropólogos. A literatura que trata de emigrações já mostrou que é uma falácia se pensar que esta população emigrante é formada apenas por indivíduos pobres ou pertencentes às camadas mais baixas da população e que migram prioritariamente como estratégia para resolver problemas econômicos (Sklair 1999; Kearney 1996). Estes estudos têm mostrado que a emigração é um projeto coletivo e de ascensão social, no mais das vezes familiar, e são escolhidos os indivíduos considerados mais capazes pelo grupo para tentar a aventura da migração. Assim, com o intuito de refletir sobre os processos migratórios nacionais e internacionais de atores sociais sob uma ótica que leve em conta as intersecções de gênero, sexualidade, classe, etnia, geração nos mais diferentes contextos sócio-culturais, o projeto busca chamar atenção para as conseqüências sociais, culturais e políticas deste fenômeno. Este projeto pretende proporcionar um panorama dos deslocamentos dos sujeitos e /ou grupos envolvidos, as características das experiências migratórias e suas relações com o mercado de trabalho e com o entorno social de destino. Neste sentido, acredita-se que a relevância do projeto está em sua contribuição para a compreensão das estratégias e modalidades de migração e de inserção em redes sociais, no mercado de trabalho, re-arranjos familiares, de gênero e sexualidade, e as experiências vivenciadas nas sociedades de migração num contexto de cerceamento cada vez maior das fronteiras (Assis, 2008a; 2008b), bem como ao pretender oferecer um panorama mais amplo e diversificado do cenário das migrações em contexto nacionais e transnacionais. Este projeto de pesquisa visa analisar, em uma perspectiva interdisciplinar, os processos migratórios nacionais e/ou internacionais. Considerando como Weber a importância heurística de se abordar casos extremos, o projeto trata da trajetória de mobilidade profissional de futebolistas (jogadores e jogadoras de futebol) com carreiras bem sucedidas (um extremo), da trajetória profissional de mobilidade de travestis e de mulheres inseridas no trabalho doméstico e no mercado do sexo ou de futebolistas menos conhecidos ou, no sentido que Foucault dá ao termo, ?infames?, (outro extremo), procurando entender as implicações culturais, políticas e econômicas de suas modalidades de emigração. A partir de estudo etnográfico, busca-se compreender as transformações do seu dia-dia assim como mudanças no seu consumo, estilo de vida, valores e processos de subjetivação decorrentes da experiência da emigração. Pretende-se: a) mapear os trajetos migratórios dos sujeitos envolvidos em consonância com suas trajetórias b) identificar e cartografar as redes sociais que sustentam e agenciam as migrações c) reconhecer os projetos individuais e sociais (Velho, 1998) desses atores sociais em seus locais de destino. Busca-se ainda compreender as mudanças em seus cotidianos e no que diz respeito a identidade, gênero, sexualidade, corpo e estilos de vida decorrentes dos fluxos migratórios. A pesquisa terá como lócus as cidades de Florianópolis (SC), Pelotas (RS), Foz de Iguaçu, (PR) Manaus, (AM), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), Lisboa (Portugal), Sydney (Australia) e Montevideo (Uruguai) a metodologia envolverá pesquisa nos locais que se constituem pontos de partida desses emigrantes no caso dos fluxos de migração internacional e as cidades que recebem imigrantes no caso dos imigrantes internos e terá como base o uso de entrevistas em profundidade, observação participante, diário de campo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

2011 – 2015: Modernidade, o meio ambiente e novas noções sobre lixo e pureza
 
Descrição: Convenio CAPES/NUffic com a Universidade Livre de Amsterdam. 
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
  • Circulação Transnacional de Jogadores de Futebol Brasileiros (2009 -2012)
    Responsável: Carmen Rial

PQ 10/2008 O projeto trata da trajetória de jogadores de futebol com carreiras bem sucedidas, procurando entender as implicações culturais, políticas e econômicas de sua modalidade de emigração. A partir de estudo etnográfico, busca-se compreender as transformações do seu dia-dia assim como mudanças no seu consumo, estilo de vida e identidade decorrentes da experiência da emigração. Consumo e alimentação serão analisados nas suas relações com identidades étnicas, nacionais e de gênero. As categorias de fronteira e de emigrante serão colocadas em questão, uma vez que os fluxos de especialistas laborais (como o desses jogadores), que transitam entre países e instituições de trabalho em uma constante circulação, redefinem o que sejam fronteiras, estas passando a se constituírem nas instituições de trabalho mais do que com os limites físicos entre os países. O uso de instrumentos audiovisuais na pesquisa etnográfica será objeto de reflexão desse projeto.

  • As mulheres Pescadoras em SC : estudo antropológico sobre as figurações locais, a memória coletiva, e a transição a agricultura para o turismo como trabalho acessório e a dinamicidade do modo de vida em comunidades pesqueiras de SC /CNPQ
    Responsável: Carmen Rial

O presente projeto está inserido na temática de estudos sócio-antropológicos sobre comunidades pesqueiras e suas práticas de trabalho, enquadrando-se nos múltiplos esforços que estão sendo realizados por parte de órgãos governamentais e grupos de pesquisa vinculados a diversas áreas do conhecimento para o reconhecimento e o mapeamento do trabalho das mulheres trabalhadoras na pesca. O processo de industrialização e urbanização no Brasil nas regiões costeiras vem desencadeando uma serie de transformações e impactos sociais e ambientais, destacando-se a especulação imobiliária, as atividades portuárias e a pesca predatória, implicando, por um lado em processos de exclusão social das populações que viviam nestas áreas, dependendo de seus recursos naturais, e, por outro, na adoção de práticas e estratégias de sobrevivência nas quais esses grupos mantêm sua herança cultural frente a injunções de mudança. Nas Ciências Sociais, sobretudo na antropologia, destaca-se a análise relativa às mudanças sociais em comunidades litorâneas brasileiras com um olhar voltado para suas praticas sócio-culturais. Mesmo com um amplo panorama de atuação da mulher no setor pesqueiro é possível identificar uma certa invisibilidade com relação ao trabalho por ela desenvolvido. Parte desta invisibilidade pode se percebido através dos meios de comunicação, das referências turísticas, e mesmo das pesquisas acadêmicas. E neste sentido, este projeto procura refletir sobre este cenário através de pesquisa realizada entre mulheres na região litorânea catarinense. Neste sentido o projeto aqui apresentado visa refletir sobre uma situação cotidiana na região, que é a atuação da mulheres no trabalho de pesca e coleta de frutos do mar, porém, pouco valorizada ou considerada enquanto profissão, cabendo ao homem a definição pescador. Neste sentido, torna-se importante conhecer este cenário através das mulheres, bem como suas necessidades e principais demandas enquanto mulheres trabalhadoras da pesca.

2009 – 2016: PROCAD A antropologia contemporânea em diálogo com os grupos estudados

Responsável: Carmen Silvia Rial

Descrição: Atendendo ao Edital PROCAD/NF no. 21/2009, este projeto tem como objetivo principal viabilizar intercâmbios entre pesquisadores de três instituições das regiões Nordeste, Norte e Sul, a saber os Programas de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPPGAS/UFRN), como instituição proponente; da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGAS/UFSC) e da Universidade Federal da Amazônia (PPGAS/UFAM) como instituições associadas. Estes intercâmbios visam dois objetivos, inter-relacionados: 1)A consolidação dos programas de pós-graduação em antropologia social das regiões nordeste e norte, da UFRN e da UFAM; 2) A potencialização de várias redes de pesquisas já existentes que articulam as três equipes, tendo em vista atividades conjuntas no âmbito de pesquisas já em curso envolvendo profissionais destas diferentes instituições, aqui interligadas no propósito de fomentar reflexões teórico-metodológicas a partir do projeto de reavaliar criticamente o conceito antropológico de cultura a partir do diálogo com os grupos estudados pelas diferentes redes envolvidas. Este projeto se propõe aprofundar reflexões teóricas e metodológicas que têm sido feitas pelos diferentes integrantes da equipe, em vários núcleos de pesquisa, no contexto do debate antropológico contemporâneo sobre cultura a partir das demandas políticas que os grupos estudados e o Estado têm solicitado às diferentes equipes envolvidas neste projeto. Desejamos portanto, aliar aos objetivos mais pragmáticos de formação de pós-graduaçao, a articulação de toda a equipe (e por conseqüência de todos os programas envolvidos) em torno de um projeto de reflexão teórica mais amplo, em torno do conceito antropológico de cultura..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.